Conheça a Freguesia de Malcata

Malcata


A aldeia, a Freguesia e uma grande parte da Serra de Malcata situam-se no concelho do Sabugal, distrito da Guarda. A aldeia de Malcata dista 9 quilómetros da sede de concelho e a Freguesia tem uma área total de 2.182 hectares.Tem como freguesias limítrofes Meimão, pertencente ao concelho de Penamacor, Quadrazais, Sabugal e Aldeia de Santo António, do concelho do Sabugal. Pensa-se que será uma freguesia muito antiga, uma vez que se diz que aí existiu uma muralha, embora não existam vestígios da mesma.

No ano de 1757, a freguesia era constituída apenas por 73 fogos, tendo já em 1946, 180 fogos. Em 1851 Malcata foi desanexada do concelho de Sortelha, passando a pertencer ao concelho de Sabugal, por extinção do primeiro. Em termos económicos, por volta dos anos sessenta, o negócio do carvão foi uma atividade que teve bastante importância na freguesia. Eram célebres os carvoeiros que exploravam a serra da Malcata e que se deslocavam de burro para comercializarem o seu produto nas freguesias vizinhas, e tinham como alvo preferencial os ferreiros. Até ao início do fenómeno migratório da década de 60, que afetou bastante a freguesia e toda a região, era frequente o contrabando de alguns produtos, como azeite, ferramentas, tecidos e outros, comprados em Espanha e vendidos em Malcata por habitantes da aldeia, geralmente com grandes dificuldades económicas. O transporte dos produtos era feito a pé ou utilizando o burro. Além do caminho ser muito árduo, havia ainda o perigo de serem apanhados pela polícia aduaneira. A mercadoria apreendida aos contrabandistas era leiloada em praça pública.A maior parte dos habitantes de Malcata que emigraram para o estrangeiro, conseguiram melhorar o seu nível de vida, e muitos acabaram por ficar por lá. Em consequência disso, a economia da freguesia melhorou, devido às remessas enviadas regularmente por estes emigrantes, permitindo a construção de novas casas, ruas novas, e a dinamização de alguns sectores económicos.

A Serra da Malcata é famosa pelo seu lince ibérico, uma espécie protegida por estar em vias de extinção. Estão previstos alguns repovoamentos desta espécie que trarão de novo mais espécimes deste tipo à serra.

A barragem é outro ponto forte desta maravilhosa freguesia, a albufeira com a quota mais elevada do País. Local de eleição para o lazer em época balnear e para a prática de desportos náuticos.

Padroeiro: São Barnabé
População: 332 habitantes
Eleitores: 406
Atividades Económicas: Agricultura, pastorícia, pequeno comércio, exploração florestal, serralharia e construção civil
Gastronomia: Cabrito assado, truta, javali, coelho bravo, arroz de lebre, arroz doce, farófias.
Artesanato: Miniaturas em Madeira, sobretudo peças ligadas à agricultura - Sr. Porfírio Nabais da Cruz, Bracejo - Brace'art de Isabel Martins.
Fauna: Javali, gato bravo, ginete, lince ibérico, texugo, raposa, coelho, perdiz, abutre.
Flora: Castanheiro, pinheiro, carvalho negral, urze, rosmaninho, carqueja, giesta, sargaços, freixos, salgueiros, esteva, rosmaninho, entre outros.

.


MOINHO DE RODA MOTRIZ HORIZONTAL (MOINHO DE RODÍZIO)

A água sob pressão é projectada sobre as três rodas de penas (originalmente de madeira), fazendo-as girar, e com elas, directamente, os veios, as segurelhas e as mós andadeiras. Em memória aos moinhos que existiram em Malcata este foi construído com xisto e granito oriundos dos originais.


ANTIGO POSTO DA GUARDA FISCAL DE MALCATA

projectado pelo Arquitecto Carlos Ramos (1897-1969). Foi inaugurado a 26 de Maio de 1957 e extinto a 19 de Agosto de 1988. O edifício foi construído para a Guarda Fiscal (1885-1993) cuja instituição, já extinta, tinha como objectivos evitar, descobrir e reprimir o contrabando. Na fachada observa-se o escudo português encimado pela estrela de dezasseis pontas - elemento próprio das Armas da Guarda Fiscal - com as iniciais GF - Guarda Fiscal.





CAPELA DE SÃO DOMINGOS

A primitiva Capela de São Domingos foi edificada no século XVII e é referida em documentos do século XVIII como estando demolida. A tradição local dedica-lhe particular atenção no dia de Pentecostes, levando o povo de Malcata a deslocar-se aqui em romaria. Esta manifestação religiosa tem a sua origem na romaria à Capela do Espírito Santo, em Quadrazais, onde em tempos, os Malcatenhos se deslocavam e faziam votos contra as guerras e as pragas dos gafanhotos.


IGREJA PAROQUIAL

A Igreja Paroquial de Malcata, erigida sob a invocação de São Barnabé, foi edificada no século XVII e remodelada no século XX. No interior, podem observar-se retábulos de talha e, entre outras, as imagens da Virgem do Rosário e de São Domingos, ambas do século XVII. A de São Domingos é proveniente da Igreja com a mesma invocação. Na Capela-Mor preservaram-se fragmentos de pinturas murais, com motivos florais, de provável execução oitocentista. A calçada, junto ao portal principal, foi primorosamente, tratada com motivos geométricos utilizando-se o xisto e seixo da região.


RUA DA LADEIRINHA

Rua calcetada com xisto. As casas foram construídas em xisto, barro e granito da região. Em tempos tinham dois andares: a loja para os animais e o primeiro andar para habitação. O acesso ao primeiro andar faz-se através de uma escaleira (escada) encimada por um balcão. As casas são adossadas umas às outras, têm poucas aberturas do lado da Serra de Malcata e formam um beco. Este tipo de ordenamento visava criar um pequeno logradouro quer para o acondicionamento de animais e alfaias agrícolas quer para a defesa de vários perigos.



FORNO COMUNITÁRIO

A estrutura primitiva do forno foi construída com tijolo burro (interior) e granito (exterior). A boca do forno tem duas pedras de cantaria que assentam sobre a bancada, com reservatório de cinzas. Recentemente, o edifício foi remodelado. Mantém a actividade inicial e numa das áreas são apresentados objectos ligados ao ciclo do pão.


CALVÁRIO

Realizado por Eugénio Macedo em 2012 para simbolizar o antigo ponto de encontro dos homens que durante todos os dias da Quaresma rezavam e cantavam pela alma dos mortos. Os martírios, as ladainhas quaresmais e a encomendação das almas são importantes rituais religiosos que eram realizados no Calvário aqui localizado e do qual, ainda, existe uma pedra epigrafada onde se lê: "JESUS 1747".



NORA

Em tempos utilizada para tirar a água dos poços. Bois ou burros caminhavam à volta do engenho, fazendo-o girar em movimentos descendente e ascendente. Os alcatruzes (copos) transportavam a água do fundo do poço até à superfície.



CHAFARIZ DAS BICAS

Fonte de granito decorada com a inicial de Malcata (?) e com o ano de realização (1937). Duas bicas debitam, continuamente, para um tanque, água de nascente. Contíguos e articulados com a fonte existem três tanques para onde é drenada a água. Servem situações de incêndio, de bebedouro de animais e rega.




TORRE DO RELÓGIO

Torre construída em 1959 para colocação do relógio público. As horas certas e as meias horas são assinaladas pelas badaladas do sino.








Malcata e as suas maravilhosas paisagens

Da aldeia à albufeira, do alto da Machoca à imensidão de trilhos e recantos para descobrir, a Malcata é uma jóia do interior português e que merece a sua visita.